CUIDADOS COM A AUDIÇÃO

Conforme dados do Ministério da Saúde, cerca de 25% da população brasileira apresenta algum grau de perda auditiva que pode ser causada não somente pela exposição prolongada a ruídos em ambiente de trabalho, mas também por causa do som alto dentro do carro, em casa assistindo a TV, e principalmente no uso de fones de ouvidos quando a pessoa coloca no volume máximo para ouvir a música preferida. A exposição prolongada a altos níveis de ruído que ultrapassam os limites de tolerância pode provocar a perda gradual da audição, assim como outros sintomas: dores de cabeça frequentes, estresse, tonturas, irritabilidade, zumbidos e problemas digestivos (como gastrite) e até depressão, todos estes sintomas causados pela poluição sonora. A perda auditiva é de caráter irreversível, por isso a prevenção é de extrema importância.

Dicas para proteger sua audição

Os sons altos podem afetar nossa saúde, portanto é de extrema importância proteger a audição. Veja as dicas da fonoaudióloga Ana Paula Bautzer.

Máximo de 60 decibéis e Aparelhos eletrônicos nunca no volume máximo

O volume dos aparelhos de MP3 e celulares com fones de ouvido não podem passar de 60 decibéis, intensidade recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Alguns tocadores de MP3 e outros aparelhos eletrônicos são tão potentes que, no volume máximo, podem chegar a 120db. Assim, podem prejudicar sua audição.

Evite ouvir música alta por período prolongado

Evitar ficar muito tempo em ambientes fechados com música alta. Ouvir música alta durante um bom tempo pode prejudicar a membrana dos tímpanos.

Use protetores para os seus ouvidos

Se no seu trabalho você está exposto permanentemente a sons altos, use protetores auditivos sempre que for exposto a sons altos.

Fones de concha prejudicam menos a audição

Ao ouvir música com fones de ouvido, prefira aqueles fones de conchas (auriculares). Eles distribuem melhor o som e prejudicam menos a audição.

Cuidado com o trânsito e barulho

Se possível, evite circular com as janelas dos carros abertas porque o trânsito e o barulho externo, como os famosos ′buzinaços′ no trânsito intenso, além de causar estresse, podem danificar o sistema auditivo.

Fique atenta aos sintomas da perda de audição

Os sintomas da perda de audição são quase imperceptíveis. Por isso, fique atenta a quaisquer mudanças na capacidade auditiva e, na suspeita de perda de audição, visite um otorrinolaringologista o quanto antes.

Cuidado com a audição em shows e baladas

Evite ficar perto de caixas de som na balada ou em qualquer evento. Se você está num show numa distância de 1 a 2 metros da caixa de som, estará exposta a 105-120 decibéis, acima do recomendado pela OMS que é de 60db.

Dê silêncio aos seus ouvidos

Uma dica preciosa é você ficar em silêncio, sempre que possível, após dias agitados para dar um descanso aos seus ouvidos.



ZUMBIDO

O zumbido, como é popularmente conhecido, também é chamado de acúfeno ou tinido (tinnitus, em inglês). É a percepção de um som na orelha ou na cabeça sem que haja uma fonte sonora ao redor. Trata-se de um sintoma, e não uma doença, alguns estudos chegam a falar que de cada cinco pessoas no mundo, uma vai se queixar de zumbido. O Zumbido pode ser de vários tipos: cachoeira, cigarra, chiado, TV fora do ar, grilo, clique, pulsação, etc. Geralmente tem origem em algum ponto da via auditiva, podendo estar frequentemente associado a algumas condições de saúde. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Otologia (SBO), no Brasil cerca de 15 a 20 milhões de pessoas têm zumbido. Sendo que deste total, apenas 15% das pessoas sentem algum incômodo e resolvem procurar ajuda médica. Uma das principais causa de zumbido é a perda auditiva. Cerca de 30 a 35% das perdas ocorrem devido à exposição a sons intensos, pois quanto maior a intensidade do som, maior a chance de lesionar o sistema auditivo, e consequentemente ocasionar uma perda auditiva irreversível. O zumbido é um dos sintomas mais intrigantes da otorrinolaringologia, pois ainda não se sabe a sua causa, e acredita-se que é decorrente de diversos fatores. Provoca uma morbidade considerável, podendo interferir no sono, na concentração, no equilíbrio emocional e na vida social do indivíduo.

Como se trata o zumbido?

Não há nenhum tipo de tratamento generalizado, desta forma existem várias opções de tratamento. O tratamento vai variar conforme a causa do zumbido, após investigação, o médico otorrinolaringologista apresentará as opções específicas para seu caso. O tratamento pode ser focado na etiologia do zumbido, ou seja, no que está causando o zumbido, ou focado no alívio desse sintoma. Existem medicamentos e terapias que podem aliviar o zumbido, sendo em alguns casos, quando associados a perda auditiva o a necessidade do uso de próteses auditivas.